COR DOS CORAIS

Cor dos Corais

Cor dos corais

COR DOS CORAIS



O aumento desenfreado de nutrientes e fraca iluminação são os principais itens que forçam os corais terem cores mais escuras.

Os corais respondem a iluminação ajustando o número de células fotorreceptoras e seus pigmentos, reagem sob luz excessiva, se ajustando, dando proteção ao coral, o que também interfere na sua cor.

O coral se ajusta à fonte de iluminação para manter um equilíbrio de Zooxantelas e quantidade de pigmentos necessários a ele, ou seja, tanto para nutrição como para proteção. É a adaptação do coral perante as diversas intensidades de luz. Porém, isto não significa que o coral vai aceitar qualquer intensidade de iluminação no aquario, razão pela qual às vezes precisamos mudar o coral de lugar, quer para um local alto ou mais próximo do substrato. Ele irá se adaptar no melhor lugar, onde os níveis de iluminação o satisfaça. Veja também na página “Aclimatação” onde verá o processo de adaptação do coral à nova iluminação. São vários fatores que influenciam na cor dos corais.

As microalgas Zooxantelas, que fazem simbiose com os corais, necessitam de luz para a fotossíntese, suprindo assim boa parte das necessidades nutricionais (oxigênio) dos corais, porém, não havendo luz suficiente haverá proliferação destas microalgas de cor acastanhada, para suprir as necessidades do coral, esconde-se então a verdadeira cor (da pele) dos corais, puxando para marrom (ou mesclando as tonalidades), aparecendo mais a cor das Zooxantelas do que a real cor do tecido do coral. Com boa iluminação as Zooxantelas darão ao coral energia suficiente para este mostrar sua pigmentação natural.

Vale lembrar que o branqueamento do coral dá-se pela perda das Zooxantelas, morte do tecido do coral e exposição do esqueleto calcário, por motivos já citados neste site. Dosar suplementos desnecessários ou doses erradas também pode ocasionar a expulsão das Zooxantelas matando o coral.

Normalmente os corais moles ou Softs e corais LPS gostam de nutrientes em suspensão, já os SPS pouquíssimos nutrientes e muita luz.

Muitos aquaristas compram suplementos que prometem realçar as cores dos corais, se funciona não sei, mas acredite, a cor está fortemente ligado aos parâmetros da iluminação. Se o coral não apresentar sua cor legítima o mais provável é que a iluminação está “fraca”.

A iluminação no ponto ideal (um espectro específico de excitação), o que é difícil de medir, poderemos dar condições à fluorescência (para os seres que contenham estes pigmentos fluorescentes). Quando as “ondas” azuis e ultravioletas da luz chegam aos pigmentos fluorescentes, estes reemitem com comprimentos de onda maiores, como os vermelhos e os verdes. Dificilmente veremos isto durante o dia, mas daremos condições de excitar os pigmentos fluorescentes dos corais, e à noite, com “luz-do-luar” poderemos ver esta fluorescência.

Com esta “iluminação ideal” e com apenas nutrientes necessários (sem nenhum excesso) os pigmentos fotoprotetores dos corais ficarão realçados, exibindo suas verdadeiras cores, as cores dos tecidos, sem mesclar com as Zooxantelas, isto durante o dia.

Havendo iluminação em excesso (intensa), o coral vai expulsar as Zooxantelas e a quantidade de clorofila, isto irá alterar a cor do coral, podendo levar ao branqueamento.

Se a iluminação for fraca as Zooxantelas não conseguirão produzir nutrientes necessários ao coral, alterando sua cor original.

As Zooxantelas apresentam clorofila, pigmento importante para a realização da fotossíntese, e este pigmento também será responsável pela cor que o coral vai apresentar. Você encontra mais páginas neste site que diz respeito à Zooxantelas e Aclimatação, verá que a aclimatação de corais no que tange a iluminação é muito importante.

No aquário marinho é bem possível haver seres que emitem fluorescência, mas nem todos são visíveis a olho nú. Isto também ocorre em recifes de corais. Também há corais que durante o dia parecem castanhos e feios, mas a noite exibem sua magnífica fluorescência, como algumas espécies de Acanthastrea.

Note, meu companheiro leitor, que estou falando de fluorescência de corais, mas do nosso aquário, porque no mar a “coisa” ainda é cercada de mistérios, como por exemplo corais com fluorescência abaixo de 50 metros, quase sem claridade, isto é incrível. Muitos outros seres também exibem sua fluorescência, peixes, ofiúros, nudibranquios, bactérias, fungos, algas e muitos outros.

Muitos outros seres marinhos utilizam da bioluminescência para se defender, camuflar, atrair presas, atrair parceiros na época do acasalamento, etc. Pesquise sobre bioluminescência no mar, você vai gostar, sei disto.

É sabido que a capacidade de emitir fluorescência é diferenciada entre espécies de corais, ou seja, para muitas espécies o estímulo (aspectro de luz) é diferente em relação à outra espécie, mesmo para coloração do tecido (sem fluorescência), portanto, será difícil conseguir um ajuste de luminosidade ideal para todos os corais que contém o aquário, porque compramos corais de todos os oceanos, de várias espécies, então o ideal é manter um equilíbrio sadio para todas as espécies, obviamente com os parâmetros ideais também.

Deixo aqui um resumo (“bem resumido”) sobre fluorescência e cor dos corais, porque é um assunto complexo, muitas controvérsias, pouco conhecimento, etc., mas se você tem um aquário com várias espécies de corais (ou mesmo só zoanthus) coloque uma “luz-do-luar” (Moonlight), você encontra em lojas de aquarismo, ou se quiser baratear custos, faça como eu, pendure alguns Leds azuis (12v) e ascenda a noite, apague todas as luzes da casa, vai se surpreender com que vai ver, faça o teste, eu garanto que vai gostar muito.

Se você gostou do assunto pesquise na internet sobre fosforescência no mar; bioluminescência no mar, é bem interessante.



Para alimento de corais, peixes, invertebrados Clic Aqui.

Para comida de peixes marinhos granulada Clic Aqui.