DIATOMÁCEAS

Diatomáceas

Diatomáceas

COMO ELIMINAR DIATOMÁCEAS



Diatomáceas são seres unicelulares, tem como característica uma carapaça ou parede silicosa hidratada chamada frústula. Suas carapaças formadas de sílica apresentam diversos formatos microscópicos. Podem se alimentar de substâncias inorgânicas, pela fotossíntese, ou através de matéria orgânica dissolvida. Fazem parte do plâncton.

Abaixo vão algumas dicas importantes para quem tem um aquário já estabilizado e começou surgir manchas no substrato. Diatomáceas formam manchas castanhas escuras e Cianobactérias manchas vermelhas, no geral.

Para evitar o surgimento de Diatomáceas no aquário marinho é aconselhável fazer teste de silicato e fosfato, tanto na água do aquário como na água de reposição.
Podem surgir também, quando se coloca uma nova rocha ou novo substrato no aquário, ou se você está exagerando muito na alimentação, elevando fosfatos, etc., mas vamos tratar o assunto como se os parâmetros estiverem normais.

As Diatomáceas ficam geralmente impregnadas no substrato ou rochas e é de difícil remoção manual, uma simples correnteza não é capaz de mover as diatomáceas. O substrato ou rochas ficam com manchas de marrom claro ou castanho escuro.

Dicas para eliminar Diatomáceas do aquário marinho:

Normalmente as Diatomáceas são provenientes da água de reposição, onde as resinas já estão vencidas e deixam escapar silicatos. Sílica é extremamente necessário para as elas, é fundamental verificar de onde vem a fonte de Sílica para eliminar as diatomáceas.

Para eliminar as Diatomáceas é aconselhável diminuir a alimentação e a iluminação por alguns dias, aumentar a filtragem ou trocar os filtros já saturados, fazer sifonagem do substrato e logo após suprir as bactérias removidas, comprando estas em lojas de aquarismo, existem várias marcas.
É de suma importância aumentar o número de bactérias, fortalecer o ecossistema do aquário, pois as Diatomáceas se proliferam em ambientes onde não estão sendo inibidas por outros organismos que compõe o plâncton.

A cadeia alimentar no aquário marinho quer por organismos fotossintéticos, por simbiose, etc é um complexo harmonioso que forma o ecossistema, uma enorme biodiversidade, por esta razão muitos aquaristas defendem não diminuir na alimentação, visto que poderá ocorrer uma queda de bactérias e micro algas que poderão fortalecer a proliferação de Diatomáceas, isto é, não terão inibidores para se reproduzirem. Portanto, a meu ver, o mais importante mesmo é saber de onde vêm os silicatos, porém se já foi descoberto e há necessidade de acabar com as Diatomáceas já existentes é válida a diminuição da comida temporariamente. Eu também fortaleceria nas bactérias, compraria em loja de aquarismo.

Se necessário, compre removedores de silicatos e fosfatos, mas isto em última estância, se você ainda não encontrou a fonte de silicatos existentes na água.

Note que em aquários em fase de ciclagem o surgimento das Diatomáceas é normal, mas desaparecerão com o ciclo do nitrogênio completo.

CURIOSIDADE: As Diatomáceas encontram-se em água salgada e doce, no solo e em superfícies úmidas. Existem mais de cem mil espécies, porém a maioria é marinha e de extrema importância para os recifes de corais.



Para alimento de corais, peixes, invertebrados e MUITO MAIS Clic Aqui.

2 comentários sobre “DIATOMÁCEAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.