MILLEPORA CORAL

Millepora Coral

Millepora Coral

MILLEPORA CORAL



Millepora alcicornis, chamado de coral de fogo na verdade não é um coral da classe Anthozoa, é sim da classe Hydrozoa, se trata de um falso coral duro ou hidrocoral. Seu apelido Coral de Fogo é devido a substância urticante que ele solta, os nematocistos, quando é tocado (idem águas-vivas), podendo provocar queimaduras em mergulhadores que os tocam.

O principal grupo de Hidrocorais é o coral de fogo do gênero Millepora.

Sua cor puxa para o marrom que vai clareando nas extremidades.

Estes corais se reproduzem sexuadamente, assexuadamente, por brotamento e fragmentação, neste último basta cortar um pedaço e fixá-lo à rocha, muito usado em aquário marinho.

No modo assexuado é quando fragmentos do coral são tirados da colônia, por tempestades, por exemplo, e levados para outros locais onde o fragmento crescerá, formando uma nova colônia geneticamente igual à original.

Na reprodução sexuada ocorre quando pólipos produzem medusas que se separam da colônia. As medusas, após algumas horas de vida, liberam gametas e após a fecundação, se desenvolvem em larvas plânulas que ficam a deriva nas correntezas até se fixarem em alguma rocha e formarem novas colônias.

O nome Millepora vem do latim, que significa “mil poros” e Alcicornis significa “chifre de alce”.

Este coral também abriga as simbióticas micro algas zooxantelas que lhe fornecem nutrientes, mas também se alimentam de zooplâncton e pequeninos peixes que chegarem próximos a ele.

O coral Millepora alcicornis costuma fazer parte dos corais do aquário marinho, pois os parâmetros são idênticos aos requeridos pelos corais duros SPS, necessitam de muita luminosidade. É muito comum ir bem no substrato.

Como se alimenta do plâncton, principalmente de microscópicos seres que fazem parte do zooplâncton. é necessário alimentá-lo com comida de coral, pelo menos duas vezes por semana.

O coral Millepora, no aquário, pode assumir formas diferentes no crescimento dependendo do movimento da água e da luz que recebe. Prefere correntes alternadas, o que lhe dará melhor saúde. Deve ser mantido afastado de outros corais, pois seus “pelos” podem picar seu adversário.

No interior do esqueleto calcário este coral carrega inúmeros pólipos microscópicos ligados internamente, cada grupo destes microorganismos executa uma tarefa específica: reprodução; defesa; captura de alimento; processamento e digestão. Um dos grupos é responsável pela excreção do material calcário, fundamental para a construção e crescimento do esqueleto. Estes inúmeros pólipos estão divididos em duas estruturas distintas, os gastrozoóides e os dactilozoóides.

Na verdade o coral de fogo leva o nome de coral porque secretam um esqueleto de carbonato de cálcio assim como os corais verdadeiros.

Nos pólipos compridos e estufados apresentam na extremidade pequenos poros com aparência de pelos brancos. Quando os pólipos são retraídos este coral fica com aparência escamosa.

As colônias de Millepora podem ser encontradas no Mar do Caribe, no Golfo do México, Flórida, Ilhas de Cabo Verde e ao longo de toda a costa da América Central à América do Sul. No Brasil, é frequente na costa do Estado do Ceará, ilhas de Fernando de Noronha, Atol das Rocas, até a costa do Estado do Rio de Janeiro, é um dos principais formadores de recifes brasileiros. Estas colônias abrigam uma enorme variedade de organismos, como crustáceos, peixes, poliquetas e outros corais (cnidários), se tornando assim, um importante formador de ecossistema onde se encontram as colônias.



Para alimento de corais, peixes, invertebrados e MUITO MAIS Clic Aqui.