PAGURO

Paguro

Paguro

PAGURO



Paguro ou caranguejo eremita ou eremitão, é um crustáceo da família Paguroidea. Sua característica é que não possuem qualquer forma de proteção para seu corpo, não possui uma carapaça que é comum aos crustáceos.Como o Paguro tem um corpo mole, apresenta o exoesqueleto da região abdominal mais frágil, se protegem abrigando em conchas de moluscos abandonadas ou em estruturas parecidas. Seu corpo é afunilado o que lhe permite ajuste perfeito dentro da concha, é capaz de se retrair no interior da concha em situações de perigo.

Quando o Paguro cresce terá que trocar de “casa”, então irá recorrer à outra concha de um molusco maior. É sua estratégia de refúgio. Quando ele cresce irá verificar com suas pinças alguma concha vazia que lhe sirva para seu corpo mole. Se no aquário não houver conchas suficientes haverá brigas entre eles para disputarem conchas vazias.

O Paguro é um decápode, isto é, possui dez patas e pode se locomover rapidamente no fundo do mar. Esta sempre se locomovendo em busca de alimento e uma nova “casa” onde poderá se adaptar melhor. Pode chegar aos 30 cm de comprimento.

O Paguro é um integrante da “Equipe de limpeza” do aquário marinho, pois é um detritívoro, isto é, como restos de comida, algas e excrementos de peixes. Também come vermes, larvas, pequenos crustáceos, peixes e invertebrados mortos. O Paguro ou caranguejo eremita ou eremitão no aquário marinho se porta muito bem, vasculha as rochas e sobe em corais em busca de restos de comida. Não come corais, apenas poderá fechá-los por alguns momentos porque ele sobe neles em busca de alimento. Leia a página “Equipe de limpeza”.

Este famoso caranguejo Paguro ou eremita é da espécie Coenobita clypeatus, porém existem centenas de espécies.

Outra fascinante curiosidade sobre o Paguro é que ele pega a anêmona e coloca sobre sua concha para lhe dar proteção, pois as anêmonas possuem cnidoblastos, células que produzem toxinas paralisantes e urticantes nos seus tentáculos, que afasta os predadores do caranguejo eremita, e em contrapartida a Anêmona terá mais chances de adquirir alimento devido a locomoção do caranguejo, que irá transportá-la para vários locais. O Paguro é imune à substância urticante das anêmonas. Poderá levar várias anêmonas em seu casco “emprestado”.

Pode acontecer de quando o Paguro trocar de concha esta já tiver alguma anêmona grudada no casco, neste caso o Paguro irá usar esta concha levando a anêmona também.

A esta relação na qual há vantagens recíprocas entre as espécies dar-se o nome de Protocooperação. Esta relação não é obrigatória, mas ocorrendo ambos os seres irão viver de forma independente.

Veja o vídeo abaixo: Paguro e Anêmona





Para alimento de corais, peixes, invertebrados Clic Aqui.

Para comida de peixes marinhos granulada Clic Aqui.