LABEO BICOLOR

Labeo Bicolor

Labeo Bicolor



   
PESQUISE ABAIXO SE NÃO ENCONTROU:

LABEO BICOLOR





Na imagem acima você vê o Labeo Bicolor e o Labeo Frenatus.
Diferenças entre o Labeo Frenatus e o Bicolor:

O Frenatus é mais cinza do que negro e tem a coloração vermelha em todas as nadadeiras enquanto o Labeu Bicolor somente a nadadeira caudal é vermelha, todo o corpo é preto.

Labeo Bicolor Albino : Tem o corpo todo branco, barbatanas cor do corpo com cauda vermelho intenso.

Labeo Frenatus : Tem o corpo meio acizentado com cauda e barbatanas vermelhas

Labeo Frenatus Albino : Tem o corpo todo branco com cauda e barbatanas vermelhas.

O nome científico do Labeo Bicolor é Epalzeorhynchos bicolor, também conhecido por Tubarão de Cauda Vermelha. Da família Cyprinidae.

Não tem nada de parentesco com Tubarão, apenas recebe o apelido de Tubarão de Cauda Vermelha obviamente pelo formato de sua cauda bifurcada semelhante à de um Tubarão.

O Labeo Bicolor é um peixe de água doce que poderá viver em um aquário de 200 litros em boas condições por até 10 anos e chegar aos seus 15 centímetros. É um peixe divertido, fácil de aceitar diversas comidas por ser onívoro, sua cauda vermelha bifurcada e corpo preto chama atenção do espectador.

A dieta do Labeo Bicolor consiste em vários alimentos: rações industrializadas específicas para Labeo; Daphnias; insetos; crustáceos; artêmias; minhocas e também alguns vegetais: Abobrinha; Pepino; Cenoura; Espinafre; Abóbora e outros (todos cozidos). São conhecidos por serem necrófagos, então vivem quase o tempo todo percorrendo o substrato em busca de sobras de alimentos e algas. Isto também contribui bastante para manter o aquário limpo de compostos orgânicos que podem no futuro transformar-se em amônia tóxica. Deixe os vegetais apenas algumas horas no aquário, o suficiente para alimentá-los, depois retirar para evitar que apodreça.

Enquanto se alimentam não deixarão outros peixes chegarem perto do seu território, irão perseguir o invasor numa corrida frenética. Então, se pretende colocar Labeos num aquário comunitário, inclua somente os Labeos como peixes de fundo, e acrescente outros peixes de superfície (e meio) normalmente. São territorialistas agressivos com outros Labeos, por isto sua reprodução no aquário será muito difícil. Um aquário com muitos esconderijos e plantas seria o ideal. Se da muito bem num aquário plantado e se torna menos “brigão” quando tiver mais companheiros da mesma espécie no aquário.

Gosta de aquário com movimentação d’água, com substrato arenoso, cascalho de areia fina, muitos esconderijos, troncos, plantas, rochas e bem oxigenado. A iluminação forte promoverá o crescimento de algas e microrganismos associados, diatomáceas, por exemplo, o que será bom para o Labeo Bicolor.

O PH ideal para o Labeo Bicolor fica na faixa de 6.8 à 7.5, e a temperatura fica entre 22 à 26ºC. O aquário ideal deverá ter um substrato com pedrinhas finas, cascalho de rio fino, usar também troncos, esconderijos e pedras. Não deve ser confundido com o Labeo Frenatus pois são diferentes conforme explicado acima.

É muito comum que ao colocar o Labeo Bicolor no aquário ele esteja meio desbotado e magro, isto é devido ao stress causado no transporte e viver algum tempo no aquário do lojista, mas após introdução no aquário definitivo e bem tratado logo ficará mais gordo e demonstrando sua maravilhosa coloração bem acentuada. Mesmo no aquário, quando muito stressado, sua cauda vermelha vai perdendo sua cor.

É extremamente difícil sua reprodução em aquário, mas um aquarista de sorte poderá ter esta surpresa, então será necessário um aquário de pelo menos 300 litros, com características acima descrito e uns seis exemplares (ou 3 casais se possível).

A fêmea, que tem um abdômen mais gordo e arredondado, levemente cinza, irá desovar numa água com temperatura de 28ºC, logo após o macho irá fertilizar os ovos. Após uns 2 dias os ovos eclodirão e os peixes adultos deverão ser separados para não comerem os filhotes. Os alevinos ao se desenvolverem irão mudando sua coloração, acinzentada e as nadadeiras transparentes, depois para prata/marrom e finalmente totalmente pretos. Os pais não cuidam dos filhotes. A alimentação dos alevinos poderá ser com infusórios, ovos de artêmia sem casca e outros.

Curiosidades: Difícil encontrar o Labeo Bicolor na natureza (extinto pelo IUCN), encontram-se somente em criadouros especializados para manutenção do hobby.

Vendo alguns produtos para aquarismo Comida de Corais