PEIXES FLUORESCENTES

Peixes fluorescentes

Peixes Fluorescentes



   
PESQUISE ABAIXO SE NÃO ENCONTROU:

PEIXES FLUORESCENTES



É impressionante a capacidade do ser humano, vou abordar nesta página sobre os peixes fluorescentes, ou peixes luminescentes.

Peixes fluorescentes são os peixes que sofreram modificações genéticas, que foram aplicados em seu DNA genes de corais e de águas-vivas, no qual se integrou no genoma do peixe.

Realmente no aquário ficam lindo, eu até tenho o peixe Paulistinha cor de rosa, acredito que para o hobby é um show, mas infelizmente tem seu lado sombrio que veremos no decorrer deste assunto.

Tudo começou na década de 60, com análises de biologia molecular utilizando o peixe Paulistinha (Danio rerio). Isto foi nos EUA, na Universidade do Oregon, onde se fez as primeiras manipulações genéticas. O Paulistinha ou Zebrafish em inglês, foi a primeira cobaia, onde genes de águas-vivas bioluminescentes foram enxertados no Paulistinha, e como resultado desta fluorescência verde, o peixe passou a brilhar.

Já na década de 80 utilizaram-se experimentos genéticos em seres humanos, pois com uma pigmentação mais acentuada em certos órgãos possibilita uma melhor visualização. O realce desses órgãos poderia ser visto pelos cientistas com melhor clareza.

A modificação genética do Paulistinha possibilitava, por exemplo, indicar toxinas na água, fazendo com que ele mudasse de cor em certo ambiente poluído.

Foi então que em Singapura, “de olho” no experimento científico, que então resumia apenas para nível laboratorial, fez-se a “galinha-dos-ovos-de-ouro”, a produção em grande escala de peixes luminescentes.

A maior produtora de peixes ornamentais de Taiwan (Taikong Corp) começou a vender para todo mundo o Paulistinha transgênico. Muitos países não aceitaram, mas o comércio continuou de forma clandestina.

Nova jogada: A Yorktown Technologies L.P., de Oregon (EUA), no mesmo Estado onde situa-se a Zebrafish International Resource Center (ZIRC), dedicada exclusivamente à produção do paulistinha (https://zebrafish.org/), decidiu entrar no mercado, mas com um “Royal Flush”: “O Paulistinha transgênico”. Digamos… o mesmo que as outras faziam, mas com um truque: Ao invés de usar genes de águas-vivas, usaram o genes de corais. Com isto, a empresa patenteou a marca GloFish®, sendo a detentora dos direitos comerciais. E não parou por aí, outros peixes foram modificados, tais como: Tetra negro; Labeo frenatus; Barbo sumatrano. Todos estes peixes foram modificados geneticamente e receberam novo nome patenteado pela empresa acima. Então, o GloFish®, é o nome comercial, patenteado, de uma variedade de peixes fluorescentes, que foram geneticamente modificados.

Desde 2003 o GloFish® vem sendo vendido com sucesso nos EUA, e não foram registrados incidentes ecológicos com a espécie.

Embora sua reprodução seja possível, a licença do GloFish® proíbe a reprodução intencional dos peixes.

A venda ou posse destes peixes é ilegal na Califórnia devido a uma legislação que restringe a comercialização de qualquer peixe geneticamente modificado.

O Canada também proíbe a importação ou a venda destes peixes, devido À falta de informações suficientes para a tomada de uma decisão quanto à segurança do uso deste OGMs.

A importação, venda e posse destes peixes também é proibida na União Européia. Em novembro de 2006, entretanto, a Holanda encontrou 1.400 peixes fluorescentes, vendidos em várias lojas de animais.

Na Nova Zelândia, a posse de um GloFish acarreta multa e sacrifício dos animais apreendidos.

Já em 2008 o site da BBC anuncia que um cientista dos EUA criou uma nova variedade de peixe transparente, através do Paulistinha, que pode ajudar os médicos a entender melhor doenças como o câncer e o funcionamento das células-tronco. O peixe foi criado pelo doutor Richard White, do Hospital Infantil de Boston, que disse que a análise do paulistinha transparente pode permitir um melhor acompanhamento de doenças e processos biológicos de evolução rápida.

No estudo com o paulistinha, White disse ter sido capaz de ver exatamente como o câncer começou a se espalhar e mesmo como cada célula cancerígena individualmente se multiplicou – em tempo real, em um ser vivo.
Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2008/02/080208_peixetransparente_cancerrg

E não parou por aí… Mais tarde outros peixes transgênicos são anunciados.

Peixes da espécie Acará-bandeira (Pterophyllum scalare) apresentados em Taiwan são os primeiros a brilhar sem luz negra.

Se os peixes fluorescentes são fascinantes para o hobby de aquarismo, por que há tanta discriminação? Peixes fluorescentes ou peixes modificados geneticamente é um assunto intrigante, com controvérsias, polêmicas, etc. Aqui eu postei um resumo, mas se você gostou do assunto, visite os sites de onde eu coletei estas informações, lá você verá na íntegra estas notícias e poderá tirar suas próprias conclusões:

Fontes:
1) https://gruposarlo.com.br/2018/10/04/peixes-geneticamente-modificados/
2) https://pt.wikipedia.org/wiki/GloFish

Vendo alguns produtos para aquarismo Comida de Corais